Declaração sobre os comentários recentes a respeito da publicação do código-fonte do sistema suíço de votação eletrônica

Seguindo os requisitos da Confederação e dos Cantões, a Swiss Post e a Scytl publicaram recentemente o código-fonte e os protocolos criptográficos do sistema de votação eletrônica usados na Suíça, com a finalidade de permitir que os pesquisadores e outras partes interessadas compartilhem feedback construtivo sobre o código e o design do protocolo.

O código-fonte do sistema suíço de votação eletrônica foi publicado em um repositório oficial administrado pela Swiss Post no GitLab, que também oferece um canal oficial para fornecer feedback. No entanto, a Scytl detectou repositórios paralelos não oficiais, presumivelmente do mesmo código-fonte, que também acionou a criação de outras linhas de discussão. Nesses casos, é impossível garantir a integridade e autenticidade de qualquer código-fonte hospedado em repositórios não oficiais, bem como a validade de seus comentários relacionados.

Infelizmente, nos últimos dias, algumas pessoas fizeram vários comentários fora do canal oficial, alegando que os protocolos criptográficos não eram seguros e questionando, de modo genérico, a qualidade do código. Os comentários feitos nos tópicos não oficiais não permitem construir um diálogo abrangente e construtivo sobre o código-fonte e não servem para a comunidade de segurança ou ao interesse dos cidadãos. Essas críticas são baseadas, principalmente, em mal-entendidos relacionados com os mecanismos criptográficos, que já foram esclarecidos e solucionados no repositório oficial.

Esses protocolos são o resultado da pesquisa realizada desde a fundação da Scytl, em 2001, que foi disponibilizada ao público através de publicações acadêmicas em andamento. Eles passaram com sucesso o escrutínio de especialistas em criptografia de terceiros. De fato, como os protocolos criptográficos alcançaram a verificabilidade completa, o código fonte foi publicado – com a confiança de que nenhum ataque poderia comprometer o sigilo das urnas e a integridade dos resultados eleitorais.

Para ler o artigo completo, clique aquí.

« Volte

Este site utiliza cookies de sessão ou persistentes, próprios ou de terceiros, necessários para o desempenho do site ou com objetivos analíticos e estatísticos. Se você continuar navegando, entenderemos que você aceita as condições de uso.
Para obter mais informações, clique aqui.